loading...
Sponser
0 9

UFC é a primeira universidade do Nordeste a rejeitar o Future-se

Foto: Nah Jereissati

Comunidade universitária foi unânime ao decidir pela rejeição ao programa

A Universidade Federal do Ceará tornou-se a primeira universidade do Nordeste a rejeitar o Future-se, programa anunciado pelo Ministério da Educação (MEC) em julho último. A decisão de não adesão foi tomada na votação do Conselho Universitário (CONSUNI) na tarde desta quarta-feira (14). A proposta do MEC prevê mudanças profundas não apenas na estrutura administrativa, como ainda na gestão orçamentária e no financiamento das instituições federais de ensino superior.

A inclusão da discussão sobre o projeto na reunião do Conselho foi atendida após solicitação da ADUFC, do SINTUFCe e do movimento estudantil, que realizaram Assembleia Geral Conjunta na última quinta-feira (8). Na ocasião, a comunidade universitária decidiu, por unanimidade, pela rejeição ao Future-se. Em seguida, os sindicatos informaram à reitoria e solicitaram que a decisão fosse encaminhada ao CONSUNI para deliberação. Estudantes, técnicos e professores, também decidiram na mesma assembleia pela adesão à Greve Geral em Defesa da Educação Pública e da Previdência Social, ato nacional que ocorreu ontem (13). 

 

Como foi a votação

Na votação do CONSUNI, que ocorreu no início da tarde de hoje, foram 22 votos em apoio à decisão da Assembleia Geral Conjunta da Comunidade Universitária, que rejeitou o Future-se; oito pelo adiamento da decisão, para que o projeto fosse discutido por mais tempo nas unidades acadêmicas; e duas abstenções.

Além de membros convidados das Diretorias da ADUFC e do SINTUFCe, estiveram presentes à reunião os conselheiros diretores de centro, pró-reitores, representantes dos docentes, dos servidores técnico-administrativos e dos estudantes da Universidade.

Na ocasião, também foi lida uma nota conjunta em nome dos reitores da UFC, da Universidade Federal do Cariri (UFCA) e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) sobre o Future-se. A nota faz crítica contundente à proposta e afirma o risco para a autonomia e manutenção das universidades representado pelo projeto. De acordo com o documento, caso o Future-se seja implantado, ele “descaracterizará completamente essas instituições, submetendo-as à lógica dos interesses privados”.

A decisão do CONSUNI sobre o Future-se será encaminhada em ata da reunião e redigida em resolução que deverá ser informada ao MEC. Este foi só o primeiro embate na defesa da educação pública. Uma nova reunião do CONSUNI ocorrerá amanhã (15) na UFCA, onde também foi solicitada pauta de discussão sobre o Future-se. Devemos estar alertas, e assim permaneceremos, ao processo de privatização das Instituições Federais de Ensino que o Governo tenta impor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *