loading...
Sponser

UNIVERSIDADE NA TRANSIÇÃO – Prof. Jeovah Meireles (UFC) é escalado para coordenar grupo temático sobre popularização da ciência no GT do MCTI

Jeovah Meireles: “Ideia é fazer isso reforçando a importância dos saberes populares e acadêmicos” (Foto: Arquivo Pessoal)

A presença docente no Grupo de Transição do Governo Federal vem sendo reforçada e ganhou mais um nome vindo da Universidade Federal do Ceará (UFC). Esta semana, começou a integrar o grupo o Prof. Jeovah Meireles, do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Ceará (UFC), no GT da Transição do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). Jeovah Meireles, que também leciona nos Programas de Pós-Graduação em Geografia (PPGeo/UFC) e em Desenvolvimento e Meio Ambiente (Prodema/UFC), passa a coordenar o Grupo Temático Popularização da Ciência. 

Segundo o docente, estão sendo planejadas reuniões e novas agendas para ampliar o diálogo na construção de estratégias para fortalecer o combate a questões como o negacionismo e o aquecimento global. “Ideia é fazer isso reforçando a importância dos saberes populares e acadêmicos desde as concepções plurais de sociedade, levando em conta questões de classe, diversidade, raça, gênero, etnias e biomas”, destaca o professor. Jeovah Meireles desenvolve pesquisas em Geociências, atuando em temas como mudanças climáticas e justiça ambiental e climática.

Além de Jeovah, no dia 11 de novembro, também havia sido oficializado o nome da Profª. Helena Martins (UFC), compondo o núcleo de Comunicações. A docente e jornalista é lotada no Curso de Publicidade e Propaganda da UFC e é secretária-geral da ADUFC-Sindicato. Além dos docentes, mais dois cearenses tiveram seus nomes anunciados esta semana como membros da equipe de transição do governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva. O influenciador digital Léo Suricate e o vereador de Fortaleza Gabriel Aguiar, ambos do Psol, vão atuar no Grupo Técnico de Cidades.

Nos grupos de trabalho da transição, já foram confirmados cerca de 15 cearenses escalados para diferentes áreas temáticas. As equipes estão avaliando a situação das pastas na tentativa de apontar ações emergenciais, incluindo medidas que devam ser revogadas. “Eles não substituem o governo, é importante destacar, ainda mais em um cenário em que não há ministros nomeados, mas acumulam discussões e proposições”, lembra Helena Martins.