loading...
Sponser

COMUNICAÇÕES – A universidade é fundamental na redemocratização, diz Profª. Helena Martins (UFC), na transição do governo Lula

A secretária-geral da ADUFC, Profª. Helena Martins, está na equipe de transição do governo Lula, compondo o núcleo de Comunicações (Foto: Arquivo Pessoal)

A secretária-geral da ADUFC-Sindicato, Profª. Helena Martins, está compondo o núcleo de Comunicações na equipe de transição do governo Lula (PT). A nomeação da jornalista e docente do Curso de Publicidade e Propaganda da UFC foi oficializada em publicação extra do Diário Oficial da União (DOU) no último dia 11 de novembro. O grupo está debatendo aspectos gerais como a situação das Comunicações no país, os desafios do setor frente às transformações tecnológicas e aspectos orçamentários. 

Como professora e pesquisadora, Helena Martins reforça a importância de a universidade pública estar presente nesse momento de redemocratização do Brasil, reforçando a defesa de políticas sociais e da ciência baseada em evidências. “A universidade tem um papel histórico na luta por democracia, ciência e políticas públicas. Temos muito a contribuir com o debate sobre o Brasil que queremos construir coletivamente após esse período de desmonte e ataques que vivenciamos no ensino superior público”, reforça.

Essa etapa também marca a retomada do diálogo com os diferentes setores sociais e movimentos que debatem as políticas de comunicação após seis anos de ruptura do governo federal com a sociedade civil, nas gestões de Michel Temer e Jair Bolsonaro. “Também discutimos como organizar a recepção de contribuições dos diversos setores que estão elaborando propostas para a área e o diálogo com eles. Depois de seis anos de portas fechadas e de muitos problemas, temos que ouvir a sociedade”, detalha a docente sobre os primeiros encontros do núcleo.

A Profª. Helena Martins possui mestrado em Comunicação pela UFC e doutorado em Comunicação Social pela Universidade de Brasília (UnB), com período sanduíche no Instituto Superior de Economia e Gestão (Iseg) da Universidade de Lisboa. É editora da Revista EPTIC; coordenadora do Telas – Laboratório de Pesquisa em Políticas, Tecnologia e Economia da Comunicação; pesquisadora do GT Economía política de la información, la comunicación y la cultura da Clacso; e integrante do grupo Comunicação, Economia Política e Sociedade (OBSCOM/CEPOS). Também foi titular do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) na primeira gestão do órgão (2014-2016) e jornalista da Empresa Brasil de Comunicação.

Além de Helena Martins, foram designados para a Coordenação do Grupo Técnico de Comunicação do Gabinete de Transição Governamental Alessandra Orofino, especialista em economia e direitos humanos; Cézar Santos Alvarez, ex-secretário-executivo do Ministério das Comunicações; Jorge Bittar, ex-deputado federal; e Paulo Bernardo Silva, ex-ministro das Comunicações. A coordenação da transição está sob responsabilidade do vice-presidente da República eleito, Geraldo Alckmin (PSB). 

Bolsonaro: desmonte da comunicação pública e ataques a jornalistas

O último governo federal foi marcado pelo ataque à comunicação pública; aprofundamento do desmonte da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), iniciado ainda na gestão de Michel Temer; e flagrante desvio de finalidade das emissoras estatais. Bolsonaro e seus asseclas também protagonizaram uma série de ataques e perseguições a jornalistas durante o exercício profissional, com o uso da máquina pública para disseminar notícias falsas e censurar e perseguir profissionais da Comunicação, influenciadores e oposicionistas durante os últimos quatro anos.

Além da Profª. Helena Martins, outros cinco cearenses estão na equipe de transição do governo Lula, entre eles o ex-governador e senador eleito Camilo Santana (PT), no grupo de Desenvolvimento Regional; Rubens Linhares (Direitos Humanos), integrante do diretório estadual do PT no Ceará; e o ex-senador José Pimentel (PT), que integrará o “Cargo Especial de Transição Governamental – CETG, nível IV”. Para o Grupo de Trabalho de Educação, dois cearenses foram convocados: o ex-prefeito de Sobral Veveu Arruda e Jaana Flávia Fernandes, funcionária de carreira do Ministério da Educação (MEC).