loading...
Sponser

DIA DE LUTA – Comunidade mobilizada: ADUFC, SINTUFCE E DCE-UNILAB organizam roda de conversa e ato público na quarta-feira (26/10)

O campus da Liberdade, da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) e as ruas da cidade de Redenção, serão palco, na próxima quarta-feira (26/10), de um dia de luta incluindo debate e ato público em defesa da educação e do serviço público e contra o racismo estrutural. Além da ADUFC-Sindicato, estão à frente da organização o SINTUFCE e o DCE da UNILAB, num amplo diálogo também com a sociedade. A mediação do debate será feita pela Profª. Ana Paula Rabelo, docente da UNILAB e membro da diretoria da ADUFC-Sindicato. 

A roda de conversa intitulada “Racismo estrutural e as ameaças à política de igualdade racial no Brasil” terá início às 14h, no anfiteatro do Campus da Liberdade, com a presença da Profª Matilde Ribeiro, que foi ministra da Igualdade Racial entre os anos de 2003 e 2008, e representantes de movimentos sociais indígenas, quilombolas, negros e sem-terra. Docente vinculada ao Instituto de Humanidades (IH/Unilab) e membro do colegiado do curso de Pedagogia na instituição, Matilde também recebeu, no ano passado, o título de Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal do ABC. Ela atua, ainda, como gestora pública, assessora de movimentos sociais e militante no movimento negro, de mulheres negras e feminista.

Ainda participam da atividade, que também funcionará como análise de conjuntura: Ana Maria Eugênia da Silva, doutoranda em História/UFC e feminista negra do Movimento Quilombola; Suzenalson Kanindé, doutorando em História/UFC e liderança Movimento Indígena; Tcherno Sado Canté, discente da UNILAB e representante da Associação dos Estudantes Guineenses da Unilab (AEGU); Karla Florentino, técnica Administrativa em Educação (TAE/UNILAB) e coordenadora de Campi Avançado do SINTUFCE; Geyse Anne da Silva, cotista, diretora de Igualdade Racial do DCE-UNILAB e membro da coordenação estadual do Movimento Negro Unificado – Ceará; e Sintia Gonçalves, dirigente estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST-Ceará) e do setor Gênero e da Brigada Paulo Freire.

Na sequência, debatedores/as e plateia presentes ao auditório seguirão, com início previsto para as 16h, pelas ruas de Redenção no ato “UNILAB ocupa as ruas: Em defesa da educação e do serviço público”. O convite é para todos e todas que vêm defendendo a educação pública, gratuita, de qualidade e socialmente referenciada. Uma luta que deve ser conjunta e unificada.