loading...
Sponser

O Plebiscito, a importância da participação docente e a força do Conselho de Representantes da ADUFC!

O Conselho de Representantes da ADUFC, em reunião no dia 24 de novembro, aberta às professoras e aos professores sindicalizadas/os, reiterou a necessidade e urgência de nosso sindicato se unir às lutas em âmbito nacional e reforçou a legitimidade do processo de consulta à categoria sobre o retorno ao Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN). Como informou a notícia enviada no dia 25 de novembro, o plebiscito foi adiado para os dias 15 e 16 de dezembro de 2020. Parte deste Conselho entendeu que o adiamento abre mais um espaço de formação a respeito do assunto.

Alguns fatos merecem ser destacados sobre o caminho percorrido até aqui:

•          a atual diretoria da ADUFC, eleita para o biênio 2019-2020, apresentou o fortalecimento da articulação com o ANDES-SN como um dos pontos da sua Carta-Programa;

•          em Assembleia Geral, ocorrida em novembro de 2019, a categoria aprovou um cronograma de debates sobre o tema, que seria iniciado a partir de fevereiro de 2020;

•          em função da pandemia de Covid-19, os debates foram temporariamente suspensos;

•          em agosto de 2020, o Conselho de Representantes deliberou por novo calendário de discussões, acionando a diretoria da ADUFC para encaminhar essa decisão;

•          em Assembleia Geral, ocorrida em 25 de setembro, foi definido um calendário de plenárias para o debate;

•          seis plenárias aconteceram virtualmente, com ampla divulgação para todas/os professores sindicalizadas/os, reunindo todas as unidades das três universidades federais do Estado do Ceará;

• em 30 de outubro, o Conselho de Representantes aprovou a realização de plebiscito sobre o tema na última semana de novembro com os/as associados/as

•          em 24 de novembro, o Conselho de Representantes decidiu adiar o plebiscito em atenção às professoras e aos professores que participaram da reunião e se mostraram desejosos de ampliar sua participação no debate.

Esse resumo evidencia que o plebiscito de retorno ao ANDES-SN vem sendo conduzido pela diretoria da ADUFC de maneira coerente com sua Carta-Programa, em respeito a suas e seus eleitores, e em cumprimento às deliberações e encaminhamentos das assembleias e do Conselho de Representantes; portanto, em respeito a todas e todos os sindicalizadas/os.

Depois de assembleias, plenárias, reuniões do Conselho de Representantes e ações da diretoria, o plebiscito é mais um momento formativo em que as necessidades da categoria podem ser não apenas expostas, mas também formuladas.

Estamos, professoras e professores sindicalizadas/os da ADUFC, procurando construir conjuntamente um debate a respeito de um tema importante e urgente: a decisão sobre modos de se fazer a luta contra o desmonte sistemático das universidades públicas brasileiras que está em curso há algum tempo.

O debate democrático exige de nós envolvimento ativo, combate à desinformação, abertura à complexidade e à diversidade de vozes. Nem sempre é o que ocorre, o que é também sintoma da degradação dos fluxos democráticos que temos vivido. O Conselho de Representantes se deparou, há pouco menos de dois anos, com um sindicato dilapidado, política e financeiramente, e tem se colocado como mais uma instância de sua reconstrução. Nas reuniões que tivemos ao longo da atual gestão, ficou mais e mais evidente que essa reconstrução de nosso sindicato passa pela participação e solidariedade nas lutas de todos/as os colegas professores/as, de todas as demais universidades públicas.

Fica evidente que os espaços legítimos para que esse debate aconteça estiveram e estão sendo promovidos pela diretoria. As seis plenárias realizadas, depois de encaminhamento indicado em assembleia, indicaram que o vínculo com o ANDES-SN expandirá as possibilidades políticas e jurídicas da ADUFC, colocando-a ao lado de quase todas as outras instituições de ensino superior na luta ampla pela democracia e por nossos direitos, que, lembremos, estão por um fio: se não encontrar firme contrariedade, o governo federal promoverá uma reforma administrativa que pode levar inclusive a cortes de salários e benefícios.

As diversas discussões já realizadas no âmbito do Conselho de Representantes indicam firmemente que queremos participar da construção de instrumentos de intervenção na realidade nacional e queremos que nosso sindicato proponha políticas como pleno sujeito, crítico e atuante, no horizonte de instituições brasileiras que se levantam contra o desmonte da democracia e do serviço público de qualidade.

O Conselho de Representantes reitera o convite a todas e todos para o debate democrático, na esfera pública, como exercício crítico da fala e da escuta, da argumentação informada, exercício crítico fundado na nossa honestidade intelectual, na formação política de cada um/a, em nossas trajetórias diversas.

O debate sobre o retorno ao ANDES-SN tem uma história nas universidades federais do Ceará; não nos afastemos dela, pois a história nos guia para o futuro, que no momento atual se mostra crítico para o funcionalismo público, para a docência e para a democracia.

Avancemos em sua defesa! Venha participar conosco do movimento docente!

Fortaleza, 26 de novembro de 2020
Conselho de Representantes da ADUFC-Sindicato
(Biênio 2019-2021)