loading...
Sponser

ADUFC APOIA – Portal CEARÁ CRIOLO lança mapeamento colaborativo para construção de Guia de Fontes Negras do Ceará

O portal Ceará Criolo lançou, na última terça-feira (14/7), um mapeamento colaborativo de profissionais para a construção de um Guia de Fontes Negras do Ceará. O Guia será disponibilidade gratuitamente, de forma on-line, a produtoras/es de conteúdos e profissionais da imprensa, com o objetivo de trazer mais diversidade e representatividade às narrativas jornalísticas do estado.

A iniciativa busca criar mecanismo de combater o entendimento de que, majoritariamente, pessoas negras surgem como personagens de pautas policiais ou violentas e, se são entrevistas, quase sempre estão vinculadas apenas ao tema de racismo ou situações de recorte racial. “Desconstruir esse mito e retratar o homem negro e a mulher negra como capazes de comentar assuntos para além desses estereótipos passa muito fortemente pelas empresas de comunicação”, comenta o jornalista Bruno de Castro, um dos fundadores do Ceará Criolo, ao reforçar a importância da construção do Guia.

A proposta é inspirada em iniciativa similar organizada pelas jornalistas Luísa Roig Martins e Marília Marasciulo. O projeto Jornalismo Antirracista cataloga nomes de profissionais negros/as nacionalmente. A necessidade do recorte regional, propondo a construção de um Guia de Fontes Negras do Ceará, visa combater, também, a centralização de profissionais apenas do Sul/Sudeste nas matérias jornalísticas.

Para fazer parte do Guia, o/a profissional deve preencher formulário disponibilizado pelo Ceará Criolo. O documento solicita informações básicas de nome, formação acadêmica e temas sobre os quais pode comentar. As informações de contato fornecidas no formulário pelos/as profissionais só serão disponibilizadas a jornalistas após serem solicitadas formalmente ao portal, para evitar a exposição desnecessária de dados das fontes.

A ADUFC-Sindicato apoia a iniciativa, entendendo-a como um instrumento necessário combate às desigualdades sociais e raciais, e convida os professores e as professoras negros e negras da UFC, da UFCA e da UNILAB a participarem do Guia de Fontes Negras do Ceará, enriquecendo nossas narrativas com conhecimentos diversos de pessoas plurais.

(*) Com informações do portal Ceará Criolo

(**) Para acessar mais informações sobre a iniciativa e preencher o formulário, CLIQUE AQUI.