loading...
Sponser

NOTA À SOCIEDADE – Faculdade de Educação da UFC defende suspensão do calendário acadêmico relativo ao semestre 2020.1

Através de nota divulgada hoje (26/3), o Conselho da Faculdade de Educação (Faced) da UFC reiterou sua defesa à suspensão das atividades acadêmicas sem a realização de atividades remotas, em decorrência da prevenção à Covid-19. A UFC permanece como única das três universidades federais do Ceará a manter ainda situação indefinida e com substituição das aulas presenciais por aulas de EaD ou atividades remotas. Desde o dia 16 de março, Diretorias de Centro vêm consultando a comunidade acadêmica e realizando reuniões dos Conselhos das Unidades, tendo deliberado pela suspensão total das aulas. A nota, direcionada à comunidade acadêmica e à sociedade cearense, propõe a suspensão do calendário acadêmico relativo ao semestre 2020.1 com posterior reposição de suas atividades. A ADUFC também já havia questionado formalmente a postura da administração superior da UFC (*).

A Faced enfatiza não haver condições pedagógicas e estruturais para a realização de atividades remotas sem a qualidade que essa formação exige. “Temos convicção de que não é num cenário de crise que essas condições vão se consolidar”, acrescenta a nota. A legislação vigente prevê que os cursos de graduação presenciais podem ter até 40% da carga horária ofertada na modalidade EAD, desde que prevista nos projetos pedagógicos dos cursos. O Conselho da Faced argumenta que isso implica o planejamento institucional de médio e longo prazo e que tal possibilidade metodológica não foi incluída nos cursos de graduação presenciais da UFC. “É um modelo que não encontrou respaldo nas condições objetivas oferecidas pela Universidade, que vem sofrendo sucessivos ataques, comprometendo a realização do trabalho docente, assim como, sua própria existência”, explica o documento.

A decisão foi pautada, explica o Conselho, no respeito aos argumentos e decisões dos(as) estudantes da Faced, que, reunidos em assembleia no último dia 16, constataram a falta de condições para a realização das atividades acadêmicas e deliberaram pela suspensão, inclusive das ações remotas ou à distância. Outra reunião foi realizada ontem pelo Conselho, que ratificou as decisões tomadas anteriormente. Um levantamento feito pela Faced também apontou que um número significativo de estudantes não possui equipamentos necessários, “o que fere a isonomia, uma vez que as atividades não seriam de acesso universal, configurando, pois, um processo antipedagógico, antidemocrático e excludente”.

Unilab e UFCA já haviam anunciado suspensão das aulas por tempo indeterminado.

As medidas foram tomadas diante da necessidade de distanciamento social para conter a escalada epidemiológica do coronavírus, que já vem sendo transmitido no Brasil de forma comunitária. De acordo com o mais recente boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), divulgado hoje (26/3), 235 casos já foram confirmados no Ceará – além das 3 primeiras mortes.

(*) À época da publicação da nota da ADUFC, no dia 20 de março, a Unilab ainda não havia se posicionado sobre possível suspensão das aulas.

(**) CLIQUE AQUI para ler, na íntegra, a nota da Faced/UFC à comunidade acadêmica e à sociedade cearense em pdf ou visualize abaixo.