loading...
Sponser

AÇÕES DO #18M – ADUFC realiza transmissão ao vivo com especialista para esclarecer sobre Covid-19 e defender o SUS

Como parte das ações de diálogo com a sociedade e divulgação das lutas do serviço público, em especial da educação e da saúde, a ADUFC realizou, nesta quarta-feira (18/3) uma live stream (transmissão ao vivo) nas redes sociais do sindicato com o tema “Prevenção do Coronavírus e a importância do SUS no combate à pandemia”. O convidado foi o infectologista Guilherme Henn, professor do Departamento de Saúde Comunitária da Faculdade de Medicina da UFC. A conversa foi mediada pelo presidente da ADUFC e professor do Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular da UFC, Bruno Rocha.

A pandemia do novo coronavírus, cuja doença causada por ele foi batizada mundialmente como Covid-19, começou a assolar a população brasileira nas últimas semanas. A proliferação da doença vem atingindo níveis alarmantes, tendo chegado à transmissão comunitária no Ceará – quando a infecção acontece por fontes não identificadas e que não estiveram no exterior ou em outros locais onde há confirmações. De acordo com o mais recente boletim da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), divulgado hoje (20/3), 68 casos já foram confirmados no Ceará.

Durante a transmissão ao vivo desta semana, a ADUFC convidou um especialista para tirar dúvidas dos internautas e trouxe à baila a relevância do Sistema Único de Saúde (SUS) na contenção da epidemia. “A gente tem de entender que o SUS é muito mais que um modelo assistencial. Ele envolve áreas de planejamento, vigilância em saúde, pesquisa, desenvolvimento de medicamentos, entre outros, todos super importantes”, pontuou o médico Guilherme Henn, que é mestre em Saúde Pública e Epidemiologia das Doenças Infecciosas e Parasitárias.

Diante de um contexto inédito no Brasil e no mundo, o papel dos serviços públicos na proteção social foi destacado na conversa. Bem como os prejuízos sem precedentes causados pela Emenda Constitucional (EC) 95 – Teto de Gastos. Esta é uma das bandeiras de luta urgentes do movimento docente e da ADUFC: a defesa do SUS e a revogação imediata da EC 95. “Saúde não pode ser vista como gasto. Se o governo Bolsonaro tivesse tratado com mais cuidado o serviço público, principalmente a saúde e a educação, estaríamos com mais capacidade de enfrentar essa pandemia”, avaliou Bruno Rocha. Tanto os debatedores quanto internautas que fizeram perguntas durante a transmissão enfatizaram a importância da valorização do serviço público na preservação da capacidade do estado em intervir para combater e prevenir tragédias como a que vivenciamos agora, além de proteger a população.

“Teto de Gastos” ataca SUS e aumenta riscos

“Toda primeira resposta a uma situação como essa de epidemia começa pelo SUS, e não pela rede privada”, explicou Guilherme Henn, enfatizando, em seguida, que a EC 95 já está impactando negativamente o controle da proliferação da Covid-19 no Brasil. No Hospital São José de Doenças Infecciosas (HSJ), conveniado ao SUS, “teve uma hora que, nos últimos dois dias, acabaram os quites de testagem”, exemplificou o médico infectologista.

A preocupação do especialista é respaldada por uma das principais recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS): testar o maior número de pessoal possível. “Teste todo mundo que você puder, inclusive pessoas com poucos sintomas ou assintomáticos. Isole todo mundo que der positivo. E esse é um grande problema nosso, porque não tem teste pra todo mundo. Se a gente tivesse dinheiro suficiente pra abastecer nossas unidades de saúde com testes, se conseguíssemos protocolos menos rígidos do ponto de vista de testagem, esses riscos seriam diminuídos. Precisamos de recursos”, enfatizou Guilherme Henn.

ADUFC mobilizada

O Prof. Bruno Rocha reforçou o comprometimento da ADUFC em permanecer como agente mobilizador na defesa dos serviços públicos e, em especial, da educação. “Enquanto entidade defensora da carreira docente, temos uma satisfação enorme de levar esse debate à sociedade e nossas pautas de luta, que são também o investimento em ciência, em educação, na saúde. E na necessidade de manter um sistema público eficiente”.

Também como atividade do #18M, a ADUFC já havia participado na mesma semana (16/3) do programa Rádio Debate, da Universitária FM. Na ocasião, foi levada à pauta bandeiras unificadas de luta, com integrantes do Fórum Permanente em Defesa dos Serviços Públicos, composto de mais de 40 entidades e do qual a ADUFC faz parte. Em suas falas, eles reiteraram que esses serviços têm previsão constitucional e trazem uma série de garantias e segurança para a população. Assim como a transmissão da live com o Prof. Guilherme Henn, a iniciativa ocorreu ao vivo, e foi aberta à participação do público em geral.

Entidades da educação citam Covid-19 em manifesto

A doença causada pelo novo coronavírus também é mencionada no Manifesto em Defesa da Educação e dos Serviços Públicos, lançado no último domingo (15/3). Caso não seja controlada, a Covid-19 sobrecarregará o sistema de saúde pública de todo o país, afetando, sobretudo, trabalhadores (as) mais precarizados (as). “Defendemos e exigimos medidas emergenciais dos governos em todos os níveis, em especial em ações que fortaleçam o SUS e que garantam o direito de todo(a)s os trabalhadore(a)s ao atendimento e ao tratamento público, gratuito e de qualidade. Por isso, exigimos a imediata revogação da EC/95 e a recomposição do orçamento da educação e saúde pública”, reforçam as entidades, no texto do manifesto.