loading...
Sponser

NOTA DE REPÚDIO – Nomeação de reitor ataca Unilab e a própria essência da universidade

A Diretoria da ADUFC e o Grupo de Trabalho Políticas de Classe e Ações Étnico-raciais da ADUFC vêm a público repudiar veementemente a nomeação do novo interventor da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).O ministro da Educação, Abraham Weintraub, nomeou ontem (11/03) como reitor pro tempore da Unilab o professor e pastor Roque do Nascimento Albuquerque, que já tomou posse na manhã de hoje (12/3), em Brasília.

O desrespeito pelos ritos democráticos é uma prática deste governo, mas neste caso fica evidente como a universidade pública tornou-se um prêmio negociado entre os grupos de apoio de Bolsonaro, grupos que têm interesses estranhos, quando não antagônicos, aos da instituição.  

Este ataque à universidade brasileira, e mais especificamente à Unilab, cujo projeto original rompia com a concepção elitista das universidades brasileiras, retrocede dos novos desenvolvimentos da visão de ciência, que considera as muitas formas diferentes de conhecimento, suas interrelações e assimetrias. E que considera, ainda, a autoridade epistêmica como resultado de uma produção coletiva.

Que nosso horror a esta indicação se converta em ação, em força para lutar contra uma orientação ideológica inimiga da liberdade e da autonomia, que despreza os direitos básicos e a dignidade humana, arraigada no escravismo, no patrimonialismo e na desigualdade.

A nomeação autoritária de reitores/interventores no Ceará ligados às igrejas e ao pensamento positivista militar conduz as universidades ao espaço do privado/mercantil, opondo-se à ideia de universidade do conhecimento, afastando-se do sentido da Universidade Pública, comprometida com processos coletivos de transformação da realidade social. Retomar o sentido da Universidade Pública é retomar a ideia de soberania dos povos, é afirmar o direito à educação pública, laica e de qualidade.

Agora, com mais motivos ainda de indignação, fica reforçada a importância de construirmos um enorme movimento no próximo dia 18 de março, dia de aula na rua e de resistência às intervenções, dia de lutar por democracia e autonomia, na universidade e na sociedade como um todo. 

Fortaleza, 12 de março de 2020

Diretoria da ADUFC-Sindicato e Grupo de Trabalho Políticas de Classe e Ações Étnico-raciais da ADUFC
Gestão Resistir é Preciso (Biênio 2019-2021)