loading...
Sponser

ADUFC promove debate sobre Campanha Salarial

ADUFC promove debate sobre Campanha Salarial

A ADUFC-Sindicato realizou no último dia 10 de junho, no Centro de Ciências (Campus Pici), um debate para discutir as propostas de reajuste salarial para este ano, a reestruturação da carreira docente e o atual estágio das negociações com o Governo Federal.

O debate, coordenado pelo presidente da ADUFC-Sindicato, prof. Leonardo Monteiro, contou com a presença do presidente do PROIFES-Federação, Prof. Eduardo Rolim e do 1º Tesoureiro do ANDES-SN, Prof. Amauri Fragoso de Medeiros e contou com a participação dos professores das cidades de Sobral e Juazeiro do Norte, |por meio de videoconferência. O evento foi transmitido em tempo real pelo site da ADUFC-Sindicato permitindo aos interessados o acesso de qualquer lugar do mundo.

O professor Eduardo Rolim, do PROIFES-Federação, fez uma avaliação da negociação de 2012 e dos reajustes acumulados desde aquele ano, abordando ainda as novas regras de aposentadoria dos servidores federais. Na atual Campanha Salarial, o PROIFES-Federação negocia um acordo válido para o triênio 2016-2018, defendendo a elevação dos patamares salariais, a reorganização da malha salarial e a valorização da dedicação exclusiva, dentre outras coisas. O impacto financeiro da proposta do PROIFES gira em torno de R$ 5,4 bilhões ao ano em uma folha salarial de R$ 20 bilhões ao ano.

O Prof. Amauri Fragoso de Medeiros defendeu o tempo máximo de 24 anos para o docente atingir o topo da carreia, um salário com “linha única” no contracheque e paridade entre ativos e aposentados.O representante do ANDES-SN não informou o impacto da proposta.

 

Encerrando o debate, o prof. Leonardo Monteiro agradeceu a presença de todos, ressaltando que “nosso interesse é trazer a ADUFC para os professores, estando sempre abertos ao diálogo.”

 

A diretoria eleita da ADUFC-Sindicato cumpre, assim, seu papel de trazer a campanha salarial para junto dos professores, e como um Sindicato autônomo e independente faz questão de ouvir as duas entidades nacionais para que os associados possam construir a pauta que melhor atenda nossos interesses e reivindicações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *